Cuidando com Carinho
há mais de 25 anos

Atividades Terapêuticas e de Recreação

O atendimento individual da instituição, no quesito de atividades socioeducativas, culturais e de lazer é realizado pela área de terapia ocupacional, onde, a profissional presta serviços a esta instituição pelo período de 20 horas por semana.

Dentre as atividades desenvolvidas, encontra-se: Grupo de atividades expressivas de reflexão e dinâmicas; Oficina de artes e Talentos; Atividade de Construção de Peças Teatrais, Poemas, música e sarau; Expressão Corporal; Atividades Cognitivas (memória, atenção e percepção), além das acrescenta-se a atividades de passeios mensais ou bimestrais, onde o local de destino é escolhido pelos próprios residentes.

O profissional terapeuta ocupacional foi escolhido para esta função devido ao seu conhecimento voltado, à prevenção e ao tratamento de indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos e/ou de doenças adquiridas, através da sistematização e utilização da atividade humana como base de desenvolvimento de projetos terapêuticos específicos, na atenção básica, média complexidade e alta complexidade.

Instrumento de trabalho: ATIVIDADE

Significado: “O fazer” ( a ocupação) do homem em sua vida cotidiana e nas suas relações com o ambiente.

Intervenção do terapeuta ocupacional se dá através das atividades como recurso terapêutico, previamente analisadas, de acordo com a necessidade de cada indivíduo, podendo ser  individuais ou grupais (oficinas terapêutica, profissionalizantes, educativas, grupos de humanização, etc.).

Na RESOLUÇÃO N.º  316, DE 19 DE JULHO DE 2006

Artigo 1° - É de exclusiva competência do Terapeuta Ocupacional, no âmbito de sua atuação:

  • Avaliar as habilidades funcionais do indivíduo
  • Elaborar a programação terapêutico-ocupacional
  • Executar o treinamento das funções para o desenvolvimento das capacidades de desempenho das Atividades de Vida Diária (AVDs) e Atividades Instrumentais de Vida Diária (AIDS) para as áreas comprometidas no desempenho ocupacional, motor, sensorial, percepto-cognitivo, mental, emocional, comportamental, funcional, cultural, social e econômico de pacientes.

Promover adequações posturais para o desempenho ocupacional,  para que o paciente realize com maior autonomia ou com auxilio parcial em tarefas como:

Autocuidados:

Escovar os dentes, pentear os cabelos, vestir-se, tomar banho, calçar sapatos, alimentar-se, beber água, fazer uso do vaso sanitário, dentre outros.

Tarefas diárias:

Cozinhar, lavar louça, lavar roupa, arrumar a cama, varrer a casa, passar roupas, usar o telefone, escrever, manipular livros, sentar-se na cama, transferir-se de um lugar ao outro, dentre  outras.

Cuidar de outras pessoas:

Selecionar e supervisionar cuidadores ou cuidar pessoalmente de alguém.

Cuidar de animais de estimação:

Organizar, supervisionar ou promover o cuidado de animais de estimação ou serviço.

Criação dos filhos:

Cuidar, supervisionar e dar suporte ao necessidades e ao desenvolvimento da criança.

Gerenciamento da comunicação:

Enviar, receber e interpretar informações utilizando uma variedade de sistemas e equipamentos incluindo ferramentas para a escrita, telefones, computadores, recursos audiovisuais, pranchas de comunicação, campainhas de emergência, máquina Braille, recursos de telecomunicação para surdos, equipamentos de comunicação alternativa.

Mobilidade na comunidade:

Movimentar-se na comunidade e utilizar transporte público ou privado como caminhar, dirigir, andar de bicicleta, pegar táxi ou ônibus.

Atuação:

Dentro deste contexto O Terapeuta Ocupacional, desempenha o papel de mediador entre paciente/família/cuidadores (enfermagem).

  • Auxilia e adapta possibilidades para melhorar e ampliar a qualidade de vida do paciente.

Texto: Terapia Ocupacional - Soraya Maximiliano CREFITO-4883

FONTE: CREFITO - Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional

Casa de Cuidados
Respeito, carinho, seriedade e qualidade de vida.